Buscar:   

Veneza – Itália

Imprimir

Veneza, banhada pelo mar Adriático, está situada na região do Vêneto, no nordeste da Itália. Seu povoamento teve início no século VI d.C. Veneza, ou La Sereníssima como era chamada, tornou-se uma potência comercial a partir do século X quando a sua frota era uma das maiores da Europa e seu império comandado pelos doges controlava as principais rotas comerciais da época. A decadência começou em meados do século XV com a descoberta do caminho maritimo para a Índia por Vasco da Gama, com a descoberta da América por Cristóvão Colombo, fatos que desviaram de Veneza as rotas de comércio, e pela queda de Constantinopla. Em 1797, Veneza foi invadida pelas tropas de Napoleão Bonaparte e com a assinatura do Tratado de Campofórmio, seu território foi dividido entre a França e o Império Habsburgo. Quase um século mais tarde, em 1866, a cidade foi anexada ao reino da Itália, que tinha sido criado cinco anos antes. Todos estes séculos de história deixaram à cidade uma herança singular de arte, arquitetura e cultura. E a cidade que foi o ponto de convergência do mundo bizantino e romano durante séculos, hoje é parada obrigatória para turistas de todas as partes do mundo.

Veneza é formada por 118 ilhas. Seus 177 estreitos canais são ligados por 400 pequenas pontes. E o Canal Grande, a principal via aquática que no formato de um S invertido corta a cidade em duas grandes partes, é ligado por 3 pontes importantes, a Ponte degli Scalzi, junto à estação ferroviária, a charmosa Ponte di Rialto, de mármore branco, que liga os bairros de San Marco e San Paolo ao centro da cidade e a Ponte dell’Accademia, que liga a região do Campo Santo Stefano de San Marco ao museu Accademia, em Dorsoduro. Outra ponte importante é a Ponte della Libertá que liga Veneza à terra firme, ou seja, à cidade de Mestre, a 4 quilômetros.

Veneza também é divida em bairros. São seis os bairros, ou sestieri como os venezianos chamam. Cannaregio estende-se para o nordeste e fica na vizinhança próxima de Ca’d’Oro e da Ponte di Rialto. Castello, mais ao leste, nas proximidades da região da Piazza San Marco, neste bairro à beira do canal Riva degli Schiavoni ficam os hotéis mais luxuosos da cidade. San Marco, este bairro também fica à direita do Canal Grande, nele estão as famosas Piazza San Marco, Basílica de San Marco e a Ponte di Rialto, ou seja, este é o bairro mais caro e o mais visitado de Veneza. San Paolo, fica ao norte da Ponte di Rialto, estende-se em direção ao oeste passando o Campo dei Frari e o Campo San Rocco. Santa Croce, é o próximo bairro, estende-se ao noroeste até a Piazzale Roma. Dorsoduro, no lado oposto da Ponte dell’ Accademia partindo de San Marco, é o maior bairro, nele ficam os museus Accademia e Peggy Guggenheim.

A melhor maneira de circular por esta cidade onde não existem carros, é a pé. Quando você chegar de vaporetto, espécie de ônibus aquático coletivo que em uma das suas linhas  faz o trajeto entre a estação ferroviária Santa Lucia e Veneza, você terá que carregar suas malas pelas ruelas da cidade até o seu hotel. Por isso, lembre-se de levar pouca bagagem. Depois, com o mapa em mãos, não tem nada melhor do que se perder e se encontrar pelas estreitas ruas da cidade, uma mais charmosa e encantadora do que a outra.
Um passeio de gôndola também é um maneira deliciosa de conhecer a cidade. Enquanto o gondoleiro cantarola, e a gôndola segue pelos canais, casas centenárias pintadas em tons de terra, palazzi góticos e renascentistas e casas de personalidades famosas como Marco Polo e Casanova surgem no caminho.

Se você, como muitos turistas, for passar apenas o dia em Veneza, passeie pelas suas ruelas, pois a cidade em si, com seu modo de vida e com seus palazzi que fundem a arquitetura ocidental e oriental, já é um encanto. Contemple o Palazzo Ducale, a Ponte dei Sospiri, a Basílica di San Marco, a Torre dell’Orologio e o dia a dia dos venezianos. Passe pelo Mercato Rialto, uma feira de frutas, verduras e produtos artesanais. Aproveite para comprar um belo sanduíche para ser saboreado sentado na escadaria de mármore da Ponte di Rialto. Tome um cappuccino no elegante Caffé Florian na Piazza San Marco. Passeie de gôndola pelo Canal Grande e tome um bellini no bar onde a bebida foi inventada, o Harry’s Bar. Enfim, aproveite o dia para sentir e viver esta cidade que é única.

E se você tiver a oportunidade de passar dois ou mais dias na cidade, lugares para visitar é que não vão faltar. Visite a Basílica di San Marco, o Palazzo Ducale, o Campanile di San Marco, os museus Galleria dell’Accademia, Peggy Guggenheim, Scuola Gande di San Rocco, Museu Correr, Ca d’Oro e Ca’ Razzonico e as igrejas Chiesa dei Frari, Chiesa dei SS. Giovanni e Paolo e a Chiesa di Nossa Senhora della Salute. Confira as dicas no www.deliciadeviver.com.br.


Fotos